Jornalismo Drone: uma perspectiva aérea
Tempo de leitura: 2 min

Os drones, também conhecidos como veículos aéreos não tripulados (UAVs) ou sistemas de aeronaves pilotadas remotamente (RPAS), abriram novas oportunidades em uma infinidade de indústrias, incluindo as comunicações. Drones são uma adição bem-vinda à caixa de ferramentas jornalística. O jornalismo drone refere-se ao uso de UAVs para fins de coleta de notícias.

Com recurso de fotos e vídeos, fornecem uma perspectiva aérea única para a cobertura jornalística do dia-a-dia, permitindo que os profissionais da área façam de suas reportagens mais perspicazes e inovadoras. Permitem uma visão diferente de pessoas e eventos, além de uma nova linguagem visual. Os drones podem ser usados ​​em locais inacessíveis aos humanos, as embarcações e aos veículos regulares, ou acessíveis apenas com grande risco – por exemplo, uma cidade destruída em um país em guerra civil ou no interior de um vulcão ativo.

A maior vantagem de usar drones no jornalismo é sua acessibilidade. Fretar um helicóptero custa centenas de dólares por hora e apenas as empresas de mídia ricas podem pagar por isso. Com o mesmo orçamento, até um jornalista freelance pode facilmente comprar um drone e ter um ativo inteligente permanente para cobertura de notícias.

Mas seus custos moderadamente baixos não são a única razão pela qual mais e mais drones estão encontrando seu caminho para a redação. Ao contrário dos helicópteros, usar drones significa que você não está colocando vidas humanas em risco. Capturar o local de um acidente de fábrica de produtos químicos ou derramamento tóxico com um drone, por exemplo, é exponencialmente mais seguro do que usar uma aeronave tripulada para o mesmo fim.

Como o jornalismo drone tornou-se um empreendimento relativamente seguro graças aos avanços técnicos e documentações de melhores práticas, muitas organizações de mídia trabalharam com UAVs, principalmente para reportagens de fotos e vídeos relativamente “clássicas” – aquelas que registram lugares marcados pela história ou altamente insalubres.

No entanto, ainda não há grandes “salas de notícias de drones” ou um grande número de histórias e relatórios sofisticados, baseados em drones e dados. À medida que a tecnologia se torna melhor e mais barata, jornalistas começarão a experimentá-la e a situação provavelmente mudará.

Compartilhe:

Jéssica Dias Synthes

Sobre o autor

Analista de Conteúdo e Clientes Pleno na Boxnet. Pós-graduanda no curso de especialização em Big Data e Comunicação, bacharela em Comunicação Social - Jornalismo e Tecnóloga em Design Gráfico. Experiências anteriores em Comunicação Interna, Marketing Digital e Assessoria de Imprensa.

Posts relacionados
Algoritmos: como nos proteger...

Albert Einstein escreveu uma vez: "Qualquer tolo pode saber. A questão é...

Leia mais >
Desafios da comunicação no...

Apesar de existirem diversas definições sobre o que de fato é a...

Leia mais >

Entre em contato

Descubra como a sua empresa pode ser mais analítica.