Inteligência de dados e a tomada de decisão para novos tempos
Tempo de leitura: 2 min

Lidar com grande volume de dados têm sido um dos principais desafios das empresas no cenário atual. O processo de organizar e integrar essas informações a sistemas de softwares capazes de auxiliar na análise e interpretação é conhecido como Inteligência de Dados.

A Era da Informação, onde dezenas de milhões de dados são gerados e compartilhados ao redor do mundo, possibilita muitas mudanças na forma como os negócios são efetivados, e tomar as boas decisões baseadas em elementos úteis torna as ações eficazes e assertivas.

Inteligência de Dados na prática

Uma das formas de mensurar as ações realizadas se dá através da análise de dados e seu acompanhamento. Qualificar os dados e melhorar a capacidade analítica impacta diretamente nos resultados das empresas promovendo competitividade e inovação.

Conseguir mapear geograficamente quais são os pontos de venda mais lucrativos com determinado produto podem alavancar números de faturamento, aplicando uma logística diferente para que nunca falte oferta ao cliente naquela localidade.

Olhar com uma lupa para esses dados pode inclusive oferecer novos insights para a melhora de estratégias de marketing e vendas ou qualificar o engajamento da equipe nas entregas de valor ao consumidor.

Equipes tomando decisões baseadas em dados

Em tempos de instabilidade, tomar decisões de maneira ágil e independente pode melhorar a forma como as entregas de valor são feitas ao cliente. Todo o processo de analisar as informações coletadas, gerar relatórios, passam por equipes capacitadas para gerenciar toda essa demanda.

Analisar essas informações de maneira adequada, investindo em ferramentas capazes de auxiliar pessoas a entender o significado por trás dos dados amplifica a velocidade de resposta e autonomia das equipes para identificar lacunas, promovendo insights mais valiosos.

Adaptação ao mundo digital

O universo digital vive constante evolução com maior volume de informações espalhadas em dados estruturados e não estruturados. Conseguir identificar esses elementos com o amparo de tecnologias torna a tarefa de transformar e entender os dados existentes menos complexa.

Cerca de 80% dos dados criados são não estruturados e são originados no cotidiano das pessoas: são as mensagens de texto, selfies, áudios, vídeos, emojis, stickers. Basicamente, toda a comunicação interpessoal nas plataformas de conversa. Ou seja, um infinito oceano de possibilidades de difícil interpretação.

Para viabilizar esse entendimento, surgiu o Machine Learning, onde a máquina faz o processo de transformar esses dados em algo palatável, tangível e interpretável.

Sobre a Boxnet

A Boxnet possuí ferramentas que auxiliam seu negócio, desde a coleta e captura de dados, passando pela análise, finalizando com o compartilhamento de relatórios com todas as informações.

Compartilhe:

Kleber Vinícius De Abreu dos Reis

Sobre o autor

Analista de Conteúdo e de Taxonomias na Boxnet. Pós-graduado no curso de Gestão em Marketing e graduação em Comunicação Social - Jornalismo. Viciado em estatísticas nos Esportes.

Posts relacionados
Tendências para o marketing...

As mudanças no comportamento dos consumidores e as necessidades de...

Leia mais >
Realidade aumentada: o...

Sempre quando pensamos no futuro imaginamos vários cenários. Não devemos...

Leia mais >

Entre em contato

Descubra como a sua empresa pode ser mais analítica.